Edgar

Hamilton supera Bottas na largada e vence morno GP da Espanha. Verstappen põe Red Bull de volta ao pódio.

Publicado em ESPORTES
Domingo, 12 Mai 2019 16:00

A Mercedes continua implacável na temporada 2019 do Mundial de Fórmula 1. Na tarde deste domingo (12), em Barcelona, a escuderia prateada manteve o domínio exercido neste início do campeonato e encaixou a quinta dobradinha nas cinco primeiras corridas do ano. Desta vez, Lewis Hamilton ocupou o topo do pódio e triunfou pela 76ª vez na carreira. Foi um triunfo até tranquilo do pentacampeão, que teve o trabalho de superar o pole Valtteri Bottas na largada para liderar de ponta a ponta uma corrida ruim e morna, marcada apenas por um grande momento de ação, quando Lance Stroll e Lando Norris bateram, proporcionando a entrada do safety-car.

Restou a Bottas se conformar com o segundo lugar. Desta vez, o finlandês não foi páreo em momento algum da prova para Hamilton, que ainda faturou o ponto extra pela volta mais rápida da corrida e assumiu a liderança do campeonato nesta briga toda dos pilotos da Mercedes na luta pelo título.

Depois de ver a Ferrari ir ao pódio, sempre em terceiro lugar, nas últimas três etapas, Max Verstappen voltou a levantar um troféu na temporada. O holandês, um dos bons nomes do fim de semana, passou Sebastian Vettel na largada e se manteve em terceiro praticamente até o fim da corrida, garantindo o segundo top-3 da Red Bull Honda em 2019. Em contrapartida, a Ferrari teve outra corrida bastante apagada e marcada por inversões entre Vettel e Charles Leclerc. No fim, o alemão terminou em quarto, com o monegasco completando o top-5.

Pierre Gasly fechou a lista dos seis primeiros com o segundo carro da Red Bull. O francês foi seguido por Kevin Magnussen, da Haas, o melhor do resto na F1, enquanto Carlos Sainz voltou a pontuar em casa ao cruzar a linha de chegada em oitavo com a McLaren. Daniil Kvyat, da Toro Rosso, e Romain Grosjean, com a outra Haas, fecharam o top-10.

A sexta etapa da temporada 2019 do Mundial de F1 acontece em 15 dias com o mais tradicional evento do calendário, o GP de Mônaco.

Saiba como foi o GP da Espanha de Fórmula 1

Lewis Hamilton tracionou melhor e passou Valtteri Bottas logo na largada para assumir a liderança da corrida. Não só passou como abriu boa vantagem logo no início. Vettel chegou até a colocar a Ferrari à frente de Bottas, que ficou encaixotado entre a Ferrari e a Mercedes de Hamilton, mas o finlandês conseguiu retomar a segunda posição na curva 3.

Em seguida, Max Verstappen pulou na frente de Vettel para subir para terceiro, enquanto Charles Leclerc manteve o quinto lugar, seguido por Pierre Gasly. Foi uma largada sem maiores incidentes, ainda que tenha sido ruim para Kimi Räikkönen, que escapou na curva, foi passear na brita e caiu para a última colocação na primeira volta. Lando Norris também despencou, de décimo para 16º.

Nas primeiras voltas, Hamilton e Bottas se revezavam com a volta mais rápida da corrida, mas a diferença já estava na casa de 2s6. Verstappen não chegava a ser pressionado por Vettel que, por sua vez, passava a ver a Ferrari de Leclerc muito maior no retrovisor.

Leclerc definitivamente vinha mais rápido, e foi quando a Ferrari deu uma outrora inimaginável ordem ao pedir a Vettel para deixar o monegasco passar. A inversão aconteceu na volta 12. Charles não apenas passou, como abriu vantagem logo que fez a ultrapassagem.

Foi um dos poucos momentos da corrida em que houve algum tipo de ação, uma vez que a prova tinha as características habituais do GP da Espanha nos últimos anos e era bastante modorrenta.

Vettel foi o primeiro dentre os ponteiros a fazer a troca de pneus na volta 20, colocando os médios para ir até o fim. Mas até no pit-stop o alemão enfrentou um revés com um encaixe demorado da roda traseira esquerda. Na volta seguinte, foi a vez de Verstappen fazer sua parada. Só que a Red Bull optou por colocar mais um jogo de pneus macios, o que significou que Max teria de fazer uma nova troca.

Vettel dava sinais de reação ao fazer a melhor volta da corrida com os pneus médios. Quanto a Leclerc, a Ferrari adotou uma estratégia bem diferente ao colocar pneus duros para o monegasco ir até o fim. E no pelotão intermediário, Daniel Ricciardo fazia a ultrapassagem sobre Carlos Sainz depois do pit-stop, o chamado 'undercut'.

Na volta 27, foi a vez de Bottas fazer seu pit-stop, trocando os pneus macios pelos médios. Valtteri voltou à frente de Verstappen, mas o holandês tinha compostos mais rápidos naquele momento. Em seguida, a Mercedes repetiu a estratégia com Hamilton, que voltou à pista com vantagem de 10s para o finlandês.

Bottas chegou a tirar um pouco da vantagem de Hamilton, enquanto Vettel passava a pressionar Leclerc, que ocupava a quarta colocação. Verstappen fazia uma corrida isolada e tinha um terceiro lugar bastante estável. Nico Hülkenberg, que havia largado dos boxes, era o oitavo, mas o alemão ainda tinha de fazer seu primeiro pit-stop. Romain Grosjean era o melhor do resto com a Haas, que fazia grande jornada em Barcelona.

Com pneus médios, Vettel era naturalmente mais rápido que Leclerc, que vinha com os compostos duros. Só que a Ferrari demorou muito para fazer uma nova inversão entre os dois. Na volta 37, Seb passou o jovem companheiro de equipe e abriu para tentar alcançar Verstappen e lutar pelo pódio. Mais atrás, Daniil Kvyat protagonizava uma rara ultrapassagem real na prova ao superar a Haas de Kevin Magnussen e subir para oitavo.

Vettel foi o primeiro dentre os ponteiros a fazer o segundo pit-stop na volta 41, optando por um segundo jogo de pneus médios para ir até o fim. Três giros depois, Verstappen foi aos boxes para finalmente colocar pneus médios. Leclerc ganhou a terceira posição e tinha a missão de segurar um pódio, mas tinha dois adversários, Max e Vettel, com compostos mais novos e mais rápidos.

A Mercedes chamou seus pilotos pouco depois: Bottas foi o primeiro, na volta 46. Mas antes de Hamilton fazer sua segunda parada — colocando pneus macios usados —, Norris e Lance Stroll se tocaram na curva 2 e foram parar na caixa de brita. A direção de prova acionou o safety-car e proporcionou uma virada estratégica. Hamilton então fez seu pit-stop e Leclerc, que em teoria iria até o fim sem fazer uma nova troca, foi aos boxes para colocar um novo jogo de pneus médios, voltando em quinto, atrás de Verstappen e Vettel.

O SC juntou todo o pelotão e deu uma nova dinâmica ao fim do GP da Espanha. O carro de segurança deixou a pista na volta 53 para a relargada que trouxe um pouquinho mais de emoção. Hamilton manteve a dianteira, enquanto Bottas não teve trabalho para continuar em segundo. Verstappen foi pressionado por Vettel, mas se segurou em terceiro, enquanto Leclerc teve de lutar muito para não ser superado por Gasly, com as duas Haas, de Grosjean e Magnussen, vindo logo atrás. Pouco depois, o franco-suíço acabou despencando para décimo depois de um confronto direto com a McLaren de Sainz.

Ao fim de 66 voltas de um fraco GP da Espanha, Hamilton cruzou a linha de chegada para comemorar mais uma vitória na sua laureada carreira na F1. De quebra, o pentacampeão voltou à liderança do campeonato.

ls 2
kanaan 2
shalom 2
anuncie aqui 3
anuncie aqui 4

OBS TV.

PARCEIROS