Edgar

Uma pediatra está internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Coração, em Goiânia, desde o diagnóstico positivo de coronavírus, após voltar de um cruzeiro na Itália. Segundo um médico do hospital, que não quis se identificar, a paciente respira com ajuda de aparelhos. A mulher está internada há mais de uma semana.

Além da médica, quatro pessoas estão em quartos instalados em um andar isolado dos demais e são acompanhadas por equipe médica com dedicação exclusiva. Todos os pacientes, segundo o médico, vieram de viagens na Europa.

A proporção de infectados no hospital é a mesma registrada no mundo, segundo o médico. "Temos a média de 60% a 70% de mulheres e de 30% a 40% de homens", informou.

Os cinco internados no hospital apresentaram inflamação generalizada nos dois pulmões após tomografia. "O aspecto radiográfico é muito grave. O paciente não consegue ter alta", explica o médico.

O tratamento aplicado nos pacientes segue o usado no mundo: cloroquina e azitromicina - medicamentos usados em casos de malária. "Como foi lançado nos Estados Unidos e no mundo, esses medicamentos são usados nos pacientes que têm piora clínica e nos que sentem muita falta de ar, usamos como rotina", esclarece o médico.

Segundo o profissional, parte dos pacientes procurou o hospital diretamente e outros foram encaminhados. A internação depende da evolução clínica de cada paciente, mas tem prazo médio de 7 a 10 dias.

O hospital tem realizado os testes de coronavírus em laboratório próprio, conforme relata o médico. Os resultados ficam prontos em até sete dias.

O total de casos confirmados de coronavírus em Goiás subiu para 23 nesta segunda-feira, segundo balanço do Ministério da Saúde.

O total de casos confirmados de coronavírus em Goiás subiu para 23 nesta segunda-feira (23), segundo balanço do Ministério da Saúde. A Secretaria Estadual de Saúde (SES) ainda não divulgou a estatística porque aguarda resultados de exames em andamento.

Seis cidades de Goiás têm pessoas com Covid-19: Goiânia (12), Rio Verde (5), Anápolis (2), Aparecida de Goiânia (2), Jataí (1) e Catalão (1).

Os casos suspeitos em investigação, até domingo, eram de 765. Outros 170 já foram descartados. Goiás não registra mortes pela doença.

Após os primeiros casos confirmados, o governo estadual decretou uma série de medidas para conter o avanço da doença, como suspensão de aulas, fechamento de shoppings centers e comércios, além de instituir o trabalho em casa para funcionários públicos.

Um homem de 60 anos, que não teve o nome divulgado, foi morto após ser assaltado na madrugada desta segunda-feira (23), em Porangatu, na região norte de Goiás. Segundo a Polícia Militar, os suspeitos deram golpes na cabeça da vítima com tijolos e uma tábua de cortar carne. Cinco pessoas estão presas suspeitas de participar do crime.

"Usaram a tábua e dois tijolos. Sumiram com os tijolos e deixaram a tábua em cima do sofá onde a vítima estava", disse o major da PM Geovane Telles, que também participou da ocorrência.

A PM chegou até os suspeitos depois de uma denúncia anônima. De acordo com o major Evando Polidório, a mandante do crime, que não teve a identidade divulgada, foi até a casa do idoso com a justificativa de que havia conseguido drogas para vender para ele. Conforme os policiais, ao chegar à residência, a mulher ligou para o namorado e para um amigo para que levassem o entorpecente.

"Ela contou que decidiu armar uma emboscada para roubar o dinheiro. Chamou um namorado e um amigo, e eles foram para a casa da vítima com uma mochila cheia de tijolos, fazendo de conta que eram tabletes de droga. Quando chegaram lá, anunciaram o assalto, roubaram o dinheiro, deram tijoladas e pauladas na cabeça da vítima," disse o major.

Ainda de acordo com a PM, os três suspeitos fugiram por uma mata e tiveram a ajuda de um adolescente e do pai de um deles para se esconder. Após serem localizados, todos foram encaminhados para a delegacia de Porangatu, assim como o dinheiro da vítima.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Jocelaine Bráz Batista, se condenados, os suspeitos podem responder por associação criminosa e latrocínio.

Um laboratório de fabricação clandestina de álcool gel foi descoberto e fechado pela Polícia Civil, em Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, na segunda-feira (23). Cerca de 450 caixas do produto foram apreendidas.

O proprietário do local confessou aos policiais que não possui a autorização para a fabricação. Segundo a corporação, ele disse que começou a produzir álcool gel por conta da grande procura pelo produto, que é considerado desinfetante para as mãos e pode eliminar o coronavírus.

O nome do dono do local não foi divulgado. Por isto, o G1 não conseguiu identificar a defesa dele.

Segundo a Polícia Civil, o lugar já havia sido alvo de fiscalização da Vigilância Sanitária há alguns meses por fabricar aromatizador de ambientes, sem registro ou autorização. Assim, já deveria estar fechado.

Amostras do álcool gel produzido foram colhidas para a análise, porém a Vigilância Sanitária da cidade acredita que o produto era fabricado usando o combustível etanol. Conforme informações da Polícia Civil, o responsável pela fabricação deve responder pelo crime de falsificação.

Nesta segunda-feira (23), considerando a pandemia do coronavírus estabelecida pela OMS, os decretos do estado de Goiás e a necessidade de ampliação de medidas contra a doença, o prefeito de Rialma, Fred Vidigal, decretou toque de recolher para todo o município de Rialma. Esta medida se dispõe para ampliar os procedimentos de prevenção contra o COVID-19 (coronavírus) no município de Rialma e nas províncias próximas.

De acordo com o decreto, o toque de recolher irá começar a partir de terça-feira (24) das 22h00 às 04h00 do dia seguinte, diariamente, em toda a cidade de Rialma, portanto, cada cidadão deverá ficar em sua residência no intervalo desde tempo, primando a prevenção da saúde de todos.

Os serviços de segurança privada e os plantões em serviços essenciais não estão sujeitos ao toque de recolher.

Também de acordo com o decreto, foram criadas barreiras sanitárias nos acessos à cidade de Rialma, visando fortalecer as medidas contra a propagação do COVID-19.

Ainda, fica proibida a entrada para novas hospedagens em hotéis e pousadas de Rialma, sendo os clientes que já estão hospedados, ficaram até as datas de suas respectivas saídas.

Após atacar governadores e chamá-los de "exterminadores de empregos", o presidente Jair Bolsonaro informou nesta segunda-feira, 23, que deve ouvir nesta data governadores das regiões Nordeste e Norte. Os encontros serão separados e ocorrerão por videoconferência.

O objetivo é debater medidas de atuação contra o novo coronavírus. Bolsonaro afirmou ainda que deve se reunir na terça-feira, também remotamente, com governadores das regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul.

As reuniões ocorrem após sucessivas críticas de Bolsonaro à atuação de governadores que adotaram ações de restrições em seus estados, especialmente na área do comércio, para prevenir a covid-19.

No domingo, em entrevista à TV Record, Bolsonaro chegou a dizer que os chefes estaduais estavam "de olho na sua cadeira" de presidente e que eram "exterminadores de empregos".

"Tem algumas autoridades que estão ministrando remédio em excesso", disse para jornalistas em frente ao Palácio da Alvorada nesta segunda. "A dose do remédio não pode ser excessiva de modo que o efeito colateral seja mais danoso que o próprio vírus", declarou.

Após receber denúncias anônimas que na Rua 20, esquina com a Rua 51, Bairro Muniz Falcão, região leste de Goianésia, havia um indivíduo em uma Biz branca, que supostamente estava vendendo drogas na região, a equipe Tático, deslocou até o local e ao se aproximar do suspeito ele empreendeu fuga em alta velocidade pelas ruas do Bairro, desobedecendo sinais e ordem de parada dos policiais, colocando a sua vida e a de terceiros em risco.

Durante o acompanhamento, o suspeito dispensou um objeto, que não foi identificado pelos militares. Ao realizar a abordagem, o jovem de 21 anos tentou empreender fuga a pé sendo necessário o uso seletivo da força para realizar o algemamento e posteriormente a busca pessoal.

Em seu poder a polícia encontrou R$ 322 em espécie, sendo quatro cédulas de R$ 50, seis cédulas de R$ 20 e uma cédula de R$ 2. Ao ser questionado sobre os valores, de acordo com a polícia, o suspeito não soube dizer como conseguiu o dinheiro, assim, ele recebeu voz de prisão por desobediência, resistência e direção perigosa e foi conduzido para a Delegacia de Polícia para maiores providências.

Já a motocicleta foi guinchada e levada para o pátio do 23° Batalhão da Polícia Militar.

A Secretaria de Saúde de Rio Verde, no sudoeste Goiás, informou neste domingo (22), que uma paciente que foi infectada pelo coronavírus está curada. Segundo o órgão, trata-se de uma médica, de 61 anos, que foi o primeiro registro confirmado de Covid-19 na cidade - e um dos três pioneiros do estado - após viagem para a Europa

De acordo com o titular da pasta, Eduardo Ribeiro, a idosa, apresentou febre logo após retornar de viagem, mas em momento algum precisou ficar internada em alguma unidade de saúde. Desde então, ela passava por quarentena domiciliar e era acompanhada pelo setor de Vigilância Epidemiológica.

"Ela já é tida como uma paciente curada, livre do coronavírus. O risco é zero", disse Ribeiro ao G1.
Ainda conforme o secretário, há pelo menos seis dias a mulher não apresenta qualquer tipo de sintoma típico da infecção, como tosse, febre e dificuldades para respirar.

Ele ponderou também que o protocolo não prevê que ela tenha de passar por um novo exame para ser classificada como livre da contaminação, bastando apenas a ausência dos sintomas.

Outros infectados

O secretário revelou que outros dois casos de Covid-19 na cidade foram de mulheres que tiveram contato com a médica após a chegada dela no Brasil.

Contou ainda que o município confirmou ainda mais dois casos da doença. A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), porém, no último balanço divulgado sexta-feira (20), contabiliza somente três casos na cidade.

Ribeiro finalizou explicando que todos os quatro pacientes estão em isolamento domiciliar "evoluindo bem".

Um casal dono de um bar foi preso em Itumbiara, no sul de Goiás, por descumprir a medida imposta pelo governo estadual de fechar o comércio para conter o avanço do coronavírus no estado. De acordo com o delegado Ricardo Chueire, o proprietário do bar foi avisado pessoalmente sobre a necessidade de fechar o estabelecimento, mas descumpriu a ordem horas depois.

“Ele foi avisado pessoalmente na sexta à tarde e fechou o bar. Por volta das 20h30, passei por lá em uma viatura descaracterizada e ele estava com a lateral do bar toda aberta, fazendo as vendas normalmente. A mulher dele estava vendendo junto com ele. Quando ele me viu, mandou os clientes embora e ficou rindo”, contou Chueire.

Segundo o delegado, o casal não apresentou defesa até a última atualização desta reportagem.

O caso aconteceu em meio à ordem definida governador Ronaldo Caiado (DEM), por meio de decreto, de que o comércio deve ficar fechado em Goiás. A medida passou a valer na última quinta-feira (19). As exceções são farmácias, supermercados, padarias, postos de combustíveis, entre outros considerados serviços de ordem essencial.

Ainda segundo Ricardo Chueire, após anunciar que o casal estava preso, a mulher tentou fugir para dentro do estabelecimento. Quando um dos policiais da equipe tentou contê-la, o dono do bar agrediu o policial, quando foi contido pelo delegado.

O casal foi preso por infração de medida sanitária preventiva e o homem também foi conduzido pelo crime de resistência. A mulher assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e foi liberada. Já o dono do bar, por ter resistido à prisão, teve fiança arbitrada em R$ 3 mil, mas não pagou o valor e foi encaminhado para o presídio da cidade.

O caso aconteceu na sexta-feira (20), na Avenida Itarumã, no bairro Novo Horizonte. Segundo o delegado Ricardo Chueire, esta foi a primeira prisão no sul do estado por descumprimento do decreto estadual para conter o coronavírus.

A Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) repassará R$ 10 milhões ao Poder Executivo Estadual. O recurso será destinado à OVG para a compra de equipamentos e materiais hospitalares que vão ajudar a combater os efeitos do coronavírus no Estado. O Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), já havia feito ação semelhante.

De acordo com a Alego, os recursos foram economizados durante o ano de 2019 e seriam usados na construção da nova sede do Legislativo, no Parque Lozandes, em Goiânia.

O repasse ocorreu a partir de acordo feito entre os 41 deputados estaduais. “Pedi autorização a todos eles para nós podermos ajudar nesse momento de dificuldade, nesse combate, nessa verdadeira operação de guerra que o Estado está fazendo e fazendo muito bem, e eles concordaram de pronto. Então a Assembleia Legislativa está repassando esse valor considerável que conseguimos economizar com muito esforço e corte de despesas”, destacou o presidente da Alego, Lissauer Vieira, por meio da assessoria de imprensa.

De acordo com o governador Ronaldo Caiado em postagem nas suas redes sociais, a OVG criou o Fundo de Combate à Propagação do Coronavírus.

O objetivo é arrecadar recursos para atender aos que mais necessitam, seja doações em dinheiro ou produtos. Qualquer cidadão interessado em praticar o gesto de solidariedade, contribuindo para combater os efeitos da doença, pode acessar o site www.ovg.org.br/voluntariado para obter mais informações.

Página 1 de 145
solucao
master cartuchos
shalom 2
anuncie aqui 3

Publicidade

Solução Informática e Automação Comercial traz para você o melhor da tecnologia e inovação do mercado.

Solução Informática e Automação Comercial traz para você o melhor da tecnologia e inovação do mercado.

Solução Informática e Automação Comercial traz para você o melhor da tecnologia e inovação do mercad...

anuncie aqui 4

OBS Comunicações

 

PARCEIROS