Edgar

Áudios revelam negociação de propina entre vereadores e ex-prefeito de Araguapaz.

Publicado em POLÍTICA
Quarta, 18 Setembro 2019 22:11

Áudios divulgados pela Polícia Civil na manhã desta quarta-feira (18) mostram a negociação de propina feita entre vereadores e o ex-prefeito de Araguapaz, José Segundo Rezende Júnior. Seis pessoas foram presas nesta terça-feira (17) após deflagração da Operação Tractamus, que investiga esquema de corrupção, associação criminosa e falsidade ideológica de políticos na cidade.

Os arquivos também mostram os investigados discutindo de que maneira esconderiam o dinheiro da propina, bem como sobre possíveis ações das autoridades policiais.

Além do ex-prefeito, José Segundo, os vereadores Pedro da Silva Souza (DEM), que já foi preso por receptação; Frederico Antônio Monteiro (PHS); Egnaldo José de Carvalho (PSDB); Derci Francisco Pereira (PSDB) e Fábio Divino Cardoso (DEM), e o secretário da Prefeitura, Paulo Sérgio Ferreira Nunes, também foram presos.

Em um dos áudios divulgados à imprensa, José Segundo e os vereadores Frederico, Célio, Pedro e Egnaldo afirmam que os valores não podem ser depositados em conta para não levantarem suspeitas. Um deles chega a propor que o grupo guarde o dinheiro embaixo da cama.

Em outro arquivo, os políticos afirmam que o único medo existente é a Justiça. “A única coisa que tenho medo nessa situação é a Justiça”, diz um dos investigados. Na sequência, outro suspeito dispara: “e nós somos o que? Você não acha que penso nisso também não?”.

Investigação

As investigações da Operação Tractamus apontam que os vereadores são suspeitos de cobrar propina para não votarem a favor do impeachment da ex-prefeita de Araguapaz, Márcia Bernardino de Souza. As reuniões entre os parlamentares e o ex-prefeito e marido de Márcia, José Segundo, aconteciam no município do interior e na capital. Cada vereador recebia em torno de R$ 60 mil. Negociação chegou a R$ 500 mil, conforme a PC.

A Operação teve início após denúncia do ex-prefeito à corporação. Segundo o delegado responsável pelo caso, Clebyo Januário, o político afirma que estava sendo extorquido pelos vereadores para que o parlamento não cassasse o mandato de Márcia, que foi afastada do cargo em agosto. Contudo, o político também era investigado pela Polícia já que teria oferecido dinheiro aos vereadores para votar contra o impeachment.

De acordo com Cleybio Januário, até agora não houve comprovação efetiva da participação da ex-prefeita Márcia Bernardino no caso. “As negociações eram feitas pelo esposo em nome dela, mas estamos investigando se ela tinha conhecimento”.

O processo de impeachment contra Márcia Bernardino foi aprovado pela Câmara no último dia 19 de agosto. Ela foi julgada por superfaturamento e desvio de verba. Assumiu a prefeitura de Araguapaz Gabriel do Espanhol (DEM), vice dela. (Mais Goiás).

Papelaria do Estudante
multi coisas
Fonecell
shalom 2
anuncie aqui 3
anuncie aqui 4

OBS Comunicações